quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

RELIGIOSIDADE: JUNIOR CAMARIM EXPLICA O QUE É O CANDOMBLÉ


          Culto aos Orixás, aos Odus, Inkicis e aos ancestrais,religiosidade vinda da África aqui chegada com os seres humanos escravizados que para sobreviver a perseguição da inquisição católica foi "disfarçada" com o sincretismo ou associação aos santos católicos,onde também houve um encontro com os índios e sua pajelança,e,havendo semelhança,foi-se trocando conhecimento de ervas e outros segredos dos cultos que ao se misturarem surge então a Umbanda. Ao longo de toda a história a fé dos negros enfrentou todo tipo de perseguição,discriminação e preconceito,vencendo a tudo e a todos com dificuldade,mas com muito amor,coragem e humildade. Chega nos dias de hoje firme e forte através da nossa fé e participação ativa nos Ylês (terreiros) com nossos cânticos,danças,comidas,toques e batuques,oferendas e muita festa pois somos uma religião alegre,forte e solidária,pois é fato de que os animais ofertados como galinhas e bodes matam a fome de quem precisa,de quem passa nescessidade!






          Aqui em nossa querida Belo Jardim temos como grande representante de nossa religiosidade o Babalorixá Pai Tota de Yansã,casa de Candomblé que se encontra na Cohab III e é mais antiga nessa cidade com 40 anos de existência e muitos filhos de santo espalhados aqui,na região,país afora e até no exterior,de onde saíram a casa de Oyá e Yfá de Alexandre Orilaô na Cohab I,com 15 anos de existência,a casa de Yemanjá Ogum-té de Roberto situada no bairro de São Pedro, de Sérgio de Oyá que é a mais recente,também situada na Cohab III e a de Neto D'Oxum que cultua Jurema,ritual herdado dos Índios.
          Temos conhecimento da existência de outras casas de axé aqui na nossa cidade que não são fllh@s de Pai Tota,mas que cultuam Orixás, Jurema, Umbanda e que tem igual valor e respeito. Ser de Orixá é acima de tudo ser da natureza, posto que cultuamos manifestações vivas da natureza das quais fazemos parte,fato esse que o homem moderno esquece cada vez mais com tanta luta pela sobrevivência e busca incessante por dinheiro e status social.Acreditamos que somos parte da criação de Olodumaré (Deus criador) e a louvamos através dos sacrifícios de animais como galinhas e bodes,pois compartilhamos o que ganhamos e comemos com a natureza,pois é ela que nos proporciona tal riqueza,cozinhamos essas carnes,cantamos e louvamos com zuelas (cânticos sagrados) em Yorubá (dialeto africano usado nos rituais),dançamos para os orixás,cozinhamos comidas como acarajé,caruru,cocada,vatapá,feijoada,munguzá e outros,pois fartura é axé (bênção,energia vital),repartimos essas comidas com vizinhos e pessoas nescessitadas,porque caridade é um dos nossos lemas e só somos felizes se compartilharmos o que os Orixás nos dá através da natureza criada por Olodumaré.
          Equilíbrio é a busca incessante dos adeptos do Candomblé,amor,caridade,alegria,saúde e fartura sempre com muita simplicidade,pois ostentação não cabe entre nós,somos pequenos para os Orixás,pois assim eles nos farão grandes para o mundo. Muito axé nesse 2.013 para tod@s!

 Por: Idinaldo Júnior,Oyágbamiô,Olorixá de Yansã com Orixalá.

5 comentários:

  1. Professor Gilvan Albuquerque17 de janeiro de 2013 20:25

    É bom ver que contamos com um espaço aonde a livre expressão é um fato. Muito boa postagem. Existem aspectos dentro do Candomblé que eu ainda não conhecia. Isso é cultura, isso é conhecimento. O melhor de tudo, é que este blog está começando a quebrar os preconceitos. Só temos a ganhar com isso.

    ResponderExcluir
  2. Meu nobre Professor Gilvan, a meta é essa. A quebra de preconceitos. Obrigado pela participação!

    ResponderExcluir
  3. A capacidade intelectual de Júnior é fantástica. Sabe o que quer e defende as suas ideias com muita propriedade.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Inajá, muito bom saber que o seu blog está a serviço de toda uma sociedade!

    ResponderExcluir
  5. Meus queridos, a sociedade precisa de informação. Através da informação é que os preconceitos e tabus são quebrados. Conto sempre com a participação de vocês. Sem vocês, leiores, não vamos a lugar nenhum. Forte abraço!

    ResponderExcluir